• Marina Ferrari

Qual a melhor esgotadeira de leite materno?

Updated: Sep 22, 2019

As bombas tira-leite é trending topic entre os grupos de mães nas redes sociais. São vistos pedidos de sugestão de melhores modelos e marcas, ou ainda vendas e compras.


Para como a toda pergunta na área da amamentação (ou da saúde em geral), não existe apenas uma só resposta correta.


Eu já vi pelo menos em torno de 30 modelos diferentes dessas “queridinhas e odiadas” das mães que querem oferecer leite materno aos seus bebês.


Então, qual delas é a melhor?


DEPENDE!


A resposta rápida à pergunta é: para cada situação, haverá uma esgotadeira com melhor custo-benefício. E antes do bebê nascer, é difícil saber qual a mais indicada. Às vezes vamos precisar esperar a situação acontecer para identificar qual a melhor alternativa.


Mas vamos às informações sobre os tipos de ESGOTADEIRAS, conforme classificação de necessidade de uso:


Esgotadeiras de uso eventual/ocasional

NOTA: Estas são todas as bombas de usuário único que, como escovas de dentes, não devem ser emprestadas ou revendidas.


Bombas manuais


São designadas para uso de uma a duas vezes na semana. A garantia é de 30-90 dias.


Ela é ótima para mães que precisam de uma ajuda para aliviar a mama num dia eventual que fica muitas horas sem amamentar. Também para quando precisa tirar eventualmente leite para deixar para o bebê. Elas são baratas e práticas!


Por que eventual? Pois é, você imagina ficar todo santo dia fazendo o mesmo movimento manual repetidamente por em torno de 30min? Além disso, não é possível estabelecer uma produção de leite com esse tipo de bomba.


Bombas motorizadas pequenas que funcionam a base de bateria


Também são designadas para uso eventual. A garantia na maioria é de 3 meses (mais um motivo para não comprar usada) e tendem a ser mais barulhentas.


Eba, não precisa mais ficar apertando válvula para fazer vácuo!!! Menos trabalho para a lactante, que já tem bastante, certo? Mas claro, o investimento já é maior, visto que ainda tem o custo das baterias/pilhas.


As que funcionam por bateria podem ser muito úteis, por exemplo, num dia de day-trip da família ou para quem precisa pegar um vôo longo (confirme com sua companhia aérea). Dois poréns: 1) as baterias duram de 2 a 3 sessões de bombeamento; e 2) os ciclos de vácuo quando estão apenas ligadas na bateria são mais fracos e menos frequentes. Ao serem ligadas na tomada, já melhora. Ou seja, na bateria, não se pode esperar uma quantidade grande de leite em pouco tempo.


Simples ou Dupla?


Realizar a expressão de leite por bomba de forma simultânea nas duas mamas resulta em maior volume de leite em um mais curto período de tempo, maior número de ejeções de leite, e leite com maior teor de gordura.

Sem contar que você economiza algo muito precioso: tempo!


São por esses motivos que todas as esgotadeiras que oferecem auxílio na manutenção da produção de leite são duplas, conforme você verá a seguir.


Esgotadeiras de uso frequente


São ótimas para quem tem necessidade de esgotar de forma mais frequente, mas que não dependa da esgotadeira para haver produção de leite.


São bombas de maior eficiência que as citadas acima, normalmente possuem diferentes forças de sucção para regular conforto com eficiência, e podem ser usadas para auxiliar na manutenção de produção de leite, desde que o bebê também esteja mamando diretamente no peito na grande maioria das vezes.


Para quem está passando por alguma dificuldade de curto-prazo com a amamentação e precisa de uma pequena ajuda para estimular a produção de leite temporariamente, essas tem um ótimo custo-benefício. Recomenda-se utilizar ligadas na tomada sempre que possível para melhor performance.


É importante destacar que essas bombas não são capazes de segurar a produção de leite se o bebê não estiver também sendo amamentado diretamente na mama.


Elas normalmente têm garantia de pelo menos 1 ano.


Esgotadeiras de uso regular/diário


Muito efetivas para mães que já estabeleceram a produção de leite e têm um bebê que mama bem, mas que vão precisar regularmente ficar afastadas dele, como por exemplo, devido ao trabalho. Você precisará de uma bomba eficiente para dar manutenção na sua produção de leite e produzir suficiente para deixar para seu bebê nas horas ausentes.


O valor dessas bombas fica em torno de $300 dólares, elas têm garantia de 3 anos, e as de sistema fechado podem ser vendidas ou emprestadas após o uso. A nova usuária precisará apenas de um novo kit de acessórios.


Esgotadeiras elétricas de padrão hospitalar


Essas são as esgotadeiras que melhor mimicam a sucção do bebê. São as mais (se não as únicas, além do próprio bebê) eficientes o suficiente para iniciar e dar manutenção na lactação em situações em que o bebê não pode fazer isso.


Alguns exemplos de indicação de bombas hospitalares: bebê está na UTI neonatal ou não pode mamar por condição clínica, baixa produção de leite por afastamento entre mãe e bebê, iniciar lactação de bebê adotado, atraso na descida do leite maduro (muitos dias apenas com colostro), dificuldade em produzir leite suficiente para gemelares, cirurgia de redução mamária, recém-nascido com dificuldade para mamar por prematuridade ou outros motivos...


Todas elas possuem sistema fechado, ou seja, podem ser usadas por mais de uma pessoa sem risco de contaminação cruzada, apenas higienizando/trocando as partes desmontáveis.


Por serem muito caras, normalmente o uso dessas esgotadeiras se dá por meio de aluguel, ficando o valor bem mais acessível e quando a necessidade acabar, é só devolver.




Sistema aberto ou sistema fechado?


Uma bomba de sistema fechado possui uma barreira entre o kit de coleta de leite e o mecanismo da bomba para evitar a contaminação por bactérias / fungos / vírus / etc. Uma bomba de sistema aberto não possui essa barreira.


Observe que NÃO é possível esterilizar completamente o interior de uma bomba de sistema aberto - você teria que desmontar a bomba para obter todas as peças que poderiam ser afetadas, além de que algumas dessas peças são impossíveis de higienizar completamente. Comprar tubos novos, peças novas e limpar todas as peças laváveis NÃO higieniza o motor da bomba, que (em uma bomba de sistema aberto) é, por definição, aberta para o novo leite que você está bombeando.


Bombas de sistema fechado: Ameda: Elite, Platinum, Purely Yours; Ardo: Calypso, Carum; Bailey: Nurture III; Freemie: Freedom, Equality; Hygeia: EnDeare, EnJoye; Lansinoh: Signature Pro, Smartpump; Lucina: Melodi One; Medela: Lactina, Symphony; PJ’s: Comfort, Bliss; Rumble Tuff: Serene Express Duo; Spectra: M1, S1, S2, Dew 350.


Bombas de sistema aberto: Todas bombas Medela EXCETO as mencionadas acima.


Se sua bomba não está listada acima, olhe nas especificações do produto no manual ou entre em contato com o fabricante da bomba para ter certeza se a bomba é um sistema aberto ou fechado.


Eficiência das bombas/esgotadeiras


Existem muitos fatores que influenciam no resultado de expressão de leite. Entre eles:

- força do vácuo gerado pela bomba

- padrão cíclico de vácuos (quantos vácuos por minuto e duração de cada vácuo)

- força de compressão do funil da bomba

- forças compressivas externas

- pulsos de oxitocina (varia conforme a mãe)

- expressão sequencial ou simultânea das mamas (simples ou dupla)

- tempo pós-parto de início do uso da bomba

- tipo do funil

- ajuste do tamanho do funil

- conforto


Por isso, pesquise muito antes de definir qual será sua escolha. Entenda sua necessidade, leia os manuais encontrados na internet, veja se elas possuem opção de funil que de adeque ao tamanho de seus mamilos, se são de fácil higienização, praticidade de compra de acessórios, durabilidade e garantia.


Caso você não saiba qual será sua necessidade ainda, mas está ansiosa em ter ao menos uma opção de coletar algum volume de leite nas primeiras semanas, depois que o leite já desceu...


Eu diria que um bom investimento para o enxoval quanto a produtos de retirada de leite é, em vez de uma esgotadeira, uma coletadora de silicone. Infelizmente ainda não chegou ao Brasil (até a presente data), mas é a nova febre em outros países. E eu entendo a razão: ela é bastante útil!


Essa coletora é uma peça única de silicone, funciona por pressão negativa (=vácuo), é esterilizável, fácil de carregar, de baixo custo, e pode ser facilmente utilizada em uma mama enquanto o bebê está na outra. A marca pioneira se chama Haakaa, da Nova Zelândia. Outras marcas já imitaram o produto, mas nunca vi comparação de eficiência.


OBS: a única contra-indicação do uso da coletadora de leite é em caso de produção excessiva de leite.


Aviso importante: essa postagem não tem intenção de fazer propaganda/merchandising de qualquer produto. As imagens são meramente para ilustrar as opções de mercado. Eu não estou ganhando nem um pingo de centavos para mostrá-las aqui.


Espero ter esclarecido ao menos parte de suas dúvidas.

Que seu objetivo de amamentação seja alcançado, mesmo que alguns auxílios sejam necessários no caminho :)

Referências:

- Walker, M. - Breast Pumps and Other Technologies - in Breastfeeding and Human Lactation 5th ed. (2016)

- KellyMom.com


© 2018 by Marina Ferrari

EMAILverde.png
IGitemverde.png
faceverde.png
       Unauthorized use and/or duplication of this material without express and written permission from this site’s author and/or owner is strictly prohibited. Excerpts and links may be used, provided that full and clear credit is given to Marina Ferrari, with appropriate and specific direction to the original content.