"Por que eu tenho pouco leite?"

Uma das mais comuns sensações das mães em aleitamento materno exclusivo é uma baixa produção, ou a sensação de “leite fraco”.


Primeiro ponto que temos que esclarecer é que não existe leite fraco. Todo leite materno, a não ser que a mãe esteja em desnutrição grave ou em dieta extremamente restrita, tem uma composição e quantidade energética muito parecida ao longo da lactação.


Segundo ponto que temos que esclarecer é a questão do “peito murcho”. Quando as coisas vão bem durante o primeiro mês de amamentação, e o bebê transfere leite suficiente para saciar seu apetite e ganhar peso adequadamente, existe um reajuste de produção de leite conforme a demanda do bebê. Isso quer dizer que as mamas não necessariamente ficarão com aquela sensação de cheias com a frequência que isso ocorria lá no início.


E isso é um bom sinal! Vamos lembrar que peito é fábrica e não estoque. Isso quer dizer que seu bebê está demandando conforme a velocidade de produção. Se seu bebê precisar mais, ele vai demandar mais, e você vai aumentar a produção. Se começar a ficar leite na sala de estoque, vai haver um aviso lá no centro de controle para reduzir a produção.


Mas então tá. Não existe leite fraco. E peito é fábrica e não estoque. Mas e quando a fábrica não tá dando conta da demanda do bebê?

Esse é o terceiro ponto onde eu queria chegar. Não existe leite fraco, mas existe produção insuficiente de leite. E ela pode acontecer por muitos, muitos, muitos, muitos motivos. E eu vou comentar sobre alguns deles aqui.


Antes de continuar, só lembrando que a identificação de baixa produção deleite se faz a partir do ganho de peso do bebê. Se a velocidade de ganho de peso não estiver acompanhando a curva de crescimento, é preciso avaliar o que está acontecendo.


Existem os motivos associados a questões maternas, os motivos associados a questões do bebê, e os mais comuns: os motivos associados à questão de organização da rotina das mamadas ou de utilização de apetrechos que podem atrapalhar a produção de leite.


É importante atentarmos aqui que os fatores do bebê que influenciam a produção de leite são os relacionados com a diminuição de sua capacidade de extrair leite das mamas ou de estimulá-la. Se o bebê não extrai leite da mama, não realiza a demanda necessária para a fábrica manter a produção.


Já, os últimos motivos da lista são aqueles que de alguma forma ditam ou restringem o acesso do bebê à mama, reduzindo a frequência de estímulo mamário e reduzindo a produção de leite.


Motivos maternos para baixa produção de leite:

· Insuficiência de tecido glandular mamário

· Problemas hormonais, incluindo hipotireoidismo e síndrome de ovários policísticos

· Mastite

· Fatores emocionais

· Fumo

· Ingestão de bebida alcóolica (inclusive a tal da cerveja preta)

· Cirurgia mamária, estética ou não (eu sei que o cirurgião plástico disse que não teria risco, mas ele SEMPRE existe)


Fatores do bebê para a baixa produção de leite:

· Prematuridade (mesmo que tardia - entre 37 e 39 semanas)

· Abertura pequena da boca (pode estar associada ao uso de mamadeira ou não)

· Pega inadequada (por exemplo, quando o bebê pega apenas o mamilo e não a aréola)

· Pouca força na musculatura oral (dificuldade de manter a pega e movimentar a língua adequadamente)

· Alergia à proteína do leite de vaca

· Refluxo gastroesofágico

· Língua presa com limitação de movimento


Motivos de organização/rotina ou de uso de apetrechos:

· Pouca frequência de contato pele-a-pele entre mãe e bebê

· Posicionamento inadequado para amamentar

· Troca de peito durante mamada conforme relógio

· Limitar tempo de mamada ou mamadas noturnas

· Mãe volta a trabalhar sem manter estímulo com esgotadeira (= bomba tira-leite) elétrica

· Uso de chupeta e uso de mamadeira sem compensação da redução de estímulo com uso de esgotadeira elétrica

· Introdução de alimentação complementar antes dos 6 meses

· Qualquer rotina ou apetrecho que diminua o tempo ou a frequência do acesso do bebê às mamas


Posso ter esquecido alguns? Possivelmente!

Os fatores acima obrigatoriamente afetam a produção de leite? Não necessariamente!

Pode haver mais de um fator prejudicando a produção de leite? Sim!


Se você vivencia agum(s) desse(s) fatores, procure ajuda profissional e especializada, pois eles não são determinantes na sua possibilidade de amamentar..


Importante! Aumentar a ingestão de água e/ou alimentos comumente conhecidos como “galactogogos” (= que aumentam produção de leite) só vai ajudar se o problema não estiver relacionado com as questões descritas acima. E água só terá efeito se a mãe estiver realmente ingerindo em quantidade insuficiente.


Reforço aqui: na maioria das vezes, a baixa produção de leite está relacionada com os itens da última lista descrita acima! De qualquer forma temos que avaliar todas possibilidades.


O profissional indicado que pode avaliar TODOS os pedacinhos desse quebra cabeça que é a produção de leite materno é o consultor em amamentação com título específico de especialização para tal. A maioria dos profissionais de saúde só podem avaliar as peças referentes à sua própria formação. Uma avaliação completa gera oportunidade de indicação para os profissionais adequados quando há necessidade e uma atuação em todas as peças da situação presente.


E lembrem-se: o que funciona para uma mãe pode prejudicar ainda mais a produção de outra, pois os motivos da insuficiência de leite podem ser diferentes!


Até a próxima e mandem seus questionamentos :)

Referência:

- Powers, N.G. - Low Intake in Breastfed Infants: Maternal and Infant Considerations - in Breastfeeding and Human Lactation 5th ed. (2016)


130 views

© 2018 by Marina Ferrari

EMAILverde.png
IGitemverde.png
faceverde.png
       Unauthorized use and/or duplication of this material whether written work or artwork, without express and written permission from this website’s author and/or owner is strictly prohibited. Excerpts and links may be used, provided that full and clear credit is given to Marina Ferrari Nutritional Counselling IBCLC, with appropriate and specific direction to the original content.